Transformação digital nas empresas: como implementar passo a passo

transformação digital

A transformação digital nas empresas em Portugal não é nenhuma novidade, mas é um termo cada vez mais considerado pelas organizações dado as variadas vantagens competitivas que acarreta. Contudo, a transformação traz consigo igualmente enormes desafios, tanto em termos de investimento inicial, como de implementação de práticas na organização e de medição de performance da estratégia delineada, por exemplo.

Mais do que um chavão, a transformação digital tornou-se um objetivo central para muitas empresas, e em muitos casos, uma necessidade de sustentabilidade.

A questão que se coloca é:

como implementar eficazmente e beneficiar da transformação digital nas organizações?

 

Embarcar num projeto de transformação digital é uma obra de grande envergadura. Mais do que apostar nas redes sociais e em ferramentas de gestão como CRMs ou ERPs, deve-se equacionar:

 

A transformação digital permite ganhar vantagens e criar impacto em vários campos:  Conectividade avançada; Automação de tarefas manuais; Melhoria na tomada de decisão e inovação nos produtos e serviços.

Transformação Digital benefícios

 

 

Para alcançar com sucesso a revolução digital no trabalho é preciso ser abrangente, criterioso e ter vários cuidados.

1. Ter em mente o conceito abrangente de transformação digital

Mas afinal qual é o significado de transformação digital nas empresas? A transformação digital não é apenas a digitalização dos canais comerciais da empresa.

A sua definição é mais abrangente, consistindo numa mudança profunda das atividades das organizações e das empresas, dos processos, das competências e dos modelos. Ou seja, devem saber como criar valor e vantagens competitivas por intermédio da inovação em geral, encarando sempre os desafios levantados pela mudança como um estímulo.

Desta forma, é necessário pensar nas várias dimensões da transformação digital na empresa. Para se conseguir uma verdadeira transformação deve-se ter uma visão global e desde cedo equacionar as variadas dimensões da revolução digital: a relação com o cliente, a oferta de produtos e serviços e a digitalização de operações.

A transformação digital bem-sucedida tem de ser focada no triângulo:

  • pessoas (da organização e de fora – os clientes);
  • coisas (produtos ou serviços);
  • processos (operações).

2. Definir claramente os objetivos e metas

No centro de qualquer transformação tem de estar a definição clara de um plano de ação com casos de uso, tecnologias, metas de trabalho e os atores/autoridades (com hierarquia) envolvidos no processo. Só assim se poderá instaurar um eficaz plano de ação e medir os resultados obtidos.

As empresas olham muito para o que investem, mas pouco para o que realmente ganham. Um projeto de transformação digital que não tenha em conta o valor económico criado está destinado ao fracasso.

Ao desenhar um plano de transformação digital tenha o cuidado de integrar descrições concretas e ilustradas, juntamente com cada cenário de uso, assim como definições precisas dos benefícios esperados do projeto e das formas de medir o sucesso.

Estes são alguns exemplos de contas a fazer no plano de ação de uma verdadeira transformação digital.

3. Pensar nas pessoas, nos processos e nos canais no início das fases de desenvolvimento

Para que a transformação digital seja realmente adotada, com novas soluções, é necessário que ela seja pensada de baixo para cima, tendo em conta as pessoas, os processos e os canais. Em certos casos poderá mesmo ser necessário ajustar o modelo de negócio consoante os progressos tecnológicos tendo em vista a maximização dos resultados.

A não esquecer está a experiência do utilizador final, que é fundamental, e a diversidade dos contextos em que a transformação digital será sentida. Assim, quanto mais cedo se pensar na tecnologia como um meio de melhorar a experiência do cliente e a flexibilidade operacional, mais fácil será depois instaurar processos, novas ferramentas e consequentemente obter melhores resultados.

4. Treinar continuadamente os talentos

A transformação digital deve ser centrada nas pessoas e não só nas tecnologias. Um fator chave da transformação digital está na capacidade de reunir os talentos certos. Por mais avançada que uma empresa seja a nível tecnológico, ela nunca está totalmente e imediatamente pronta a dar resposta a todos os desafios que a transformação digital coloca.

As empresas devem pensar na constante formação dos seus recursos e identificar os recursos que ainda estão em falta para alcançar as metas inicialmente estipuladas. Não só a nível de recursos internos. A preocupação deve estar igualmente na criação de um ecossistema de parceiros que permita a concretização dos mais variados projetos.

5. Monitorizar e reformular o plano

A finalizar está a necessidade de monitorizar a transformação digital e de atualizar o plano de ação inicialmente traçado, para se acompanhar o progresso, o sucesso e as áreas de melhoria quotidiana.

Tenha em mente que a transformação é constante. Ignorar a sua abrangência é colocar em causa a sustentabilidade de um plano ou mesmo de um negócio.

 


O Centro de Computação Gráfica (CCG) é um dos CIT: Centro de Interface Tecnológico para a tecnologia digital. O CCG apresenta-se como um parceiro estratégico nos processos de investigação e inovação das empresas e organizações que pretendam integrar processos, serviços e produtos inovadores, baseados em conhecimento científico e tecnológico de elevado valor acrescentado.