A Indústria 4.0 e a remodelação da interação homem-máquina em análise

A Critical Manufacturing e o Centro de Computação Gráfica (CCG) co-organizaram o evento “Industry 4.0: Reshaping The Human Machine Interfaces” (Indústria 4.0: Remodelação de Interfaces Humanas – Máquina) que decorreu no dia 24 de janeiro, no DSI, da Escola de Engenharia, do campus de Azurém da Universidade do Minho, em Guimarães.

Nesta conferência de entrada gratuita, o CCG fez uma apresentação dos seus desenvolvimentos e projetos recentes na área da interação homem-máquina, enquanto a Critical Manufacturing divulgou os resultados do seu projeto HMI, UX-FAB – Universal Experiences for Advanced Fabs.

Intervenção CCG

O CCG apresentou alguns dos projetos tecnológicos inovadores que está a desenvolver, como o AGATHA (sistema inteligente de investigação criminal), o MaxCut4Fish (sistema inteligente de corte de pescado), e o UH4SP (uma arquitetura de software, orientada a serviços e soluções tecnológicas, incorporando o paradigma de IoT e Industry 4.0) por intermédio de Miguel Guevara, coordenador de desenvolvimento do domínio CVIG.

Já Carlos Silva, coordenador de desenvolvimento do domínio PIU do CCG, falou sobre as tecnologias e os métodos de investigação utilizados em projetos como o SIGECAR e o HMIExcel, onde as soluções são desenhadas e testadas em concreto para a indústria, avaliando a usabilidade da experiência do utilizador, fornecendo o melhor resultado final possível.

Intervenção Critical Manufacturing

Do lado da Critical Manufacturing, José Pedro Silva, engenheiro de software desta entidade, enalteceu que o foco está cada vez mais no lado do utilizador, devendo a solução tecnológica ser direcionada para este, concedendo-lhe a capacidade de customização. Como existem diversos contextos e realidades, são também necessários diferentes poderes de resposta para cada utilizador.

Como a Indústria 4.0 se concentra no consumidor, com possibilidades de personalização do produto quase à unidade específica, o projeto UX-FAB tentou introduzir esse mesmo conceito às interfaces industriais, onde os operadores / gerentes de linha podem criar as suas interfaces. José Pedro Silva demonstrou como funciona o projeto UX-FAB e o que este permite fazer a cada utilizador.

Conclusão de evento

Após estas apresentações debataram-se os diversos cenários da Indústria 4.0 e das interfaces humanas – máquina, assim como se realizaram visitas aos laboratórios do CCG para se travar conhecimento direto com algumas das tecnologias utilizadas nos projetos desenvolvidos pelo Centro de Computação Gráfica.

industry 4.0 e remodelação hmi