Business Intelligence: um bilhete de identidade das empresas?

O termo Business Intelligence (BI) tem ganho relevância junto das empresas que se querem manter competitivas e ao corrente das mais recentes transformações digitais e tem substituído designações como a de Sistemas de Suporte à decisão. Os sistemas de BI combinam a recolha de dados, o armazenamento e a gestão de conhecimento com diversas ferramentas de análise.

Os sistemas de BI têm feito parte da evolução das TI nas organizações e combinam a recolha, armazenamento e processamento de dados através de ferramentas analíticas com objetivo de apresentar informação complexa e competitiva aos gestores e tomadores de decisões. Por isso, os sistemas de BI usam os dados presentes no seio das organizações para fornecer informação pertinente tendo em vista diferentes fins.

Business Intelligence: o que é?

O BI consiste num processo de recolha, organização, partilha, monitorização e análise de grandes quantidades de informação. Os processos organizacionais geram uma quantidade significativa dos dados e os sistemas de BI prometem tirar partido destes dados, transformando os dados brutos existentes em informação útil, para suportar a tomada de decisão e promover o aumento de conhecimento dentro da organização, baseados na análise de dados permitem a melhoria da estratégia organizacional.

Os sistemas de BI marcam a presença em vários setores de negócio, por exemplo, o retalho, o setor financeiro, telecomunicações, setor dos transportes, educação, saúde, comércio eletrónico e seguros.

A partir desta interpretação de tendências e através da análise de dados ou da utilização de técnicas de previsão (e.g., data mining) os sistemas de BI conseguem desenvolver estratégias e oportunidades de negócios, tendo em vista (a curto prazo) a vantagem competitiva no mercado e (a longo prazo) a estabilidade.  Assim sendo, através do uso do BI, as organizações garantem a qualidade e promovem a criação e disseminação de conhecimento.

Business Intelligence: como funciona?

O BI é um ponto de encontro entre o negócio, a gestão e a tecnologia da informação. É pela integração destes setores num modus operandi que se encontra o BI. As tecnologias BI fornecem um histórico, assim como análises previsíveis e prescritivas das diferentes operações de negócios.

Por exemplo, uma empresa que queira melhorar a sua cadeia de abastecimento precisa de BI para descobrir onde estão a acontecer os atrasos (em que produtos e em que meios de transporte), e onde existem variações nos processos de envio.

Se as primeiras fontes de informação são recolhidas dentro das próprias empresas, as segundas fontes de informações podem incluir já as necessidades do consumidor, e o seu processo de decisão, as estratégias competitivas, as condições industriais, económicas e tecnológicas.

Associados aos sistemas de BI encontram-se os seguintes conceitos:

  • data warehouse, repositório integrado que armazena dados relevantes para a tomada de decisão, processos de extração, transformação e carregamento que são responsáveis pela automação da complexa integração dos dados operacionais que alimentam regularmente o data warehouse;
  • online analytical process, engloba um conjunto de operações analíticas sobre os dados tipicamente multidimensionais;
  • data mining, utilizado como uma técnica para extrair conhecimento dos dados e pode ser visto como o processo de descobrir padrões e conhecimento de uma vasta quantidade de dados, e visualização de dados nesta componente utiliza-se tipicamente relatórios, dashboards (visualizações interativas) e scorecards.

Ferramentas e funções BI

Existem diferentes ferramentas de BI, entre as mais conhecidas estão as ferramentas da Microsoft, da Qlik, da Tableau ou da Zoomdata. O BI pode relacionar-se com sistemas integrados como o ERP (Enterprise Resource Planning). As empresas e instituições escolhem as ferramentas baseadas em fatores como o tamanho e a complexidade das suas operações, assim como o tipo de tecnologia que já possuem. As funções do BI mais habituais incluem relatórios, análises, processamento de acontecimentos complexos, gestão de desempenho dos negócios, benchmarking, ou data mining.

bi - business intelligence

 

O BI a trabalhar nas empresas

Com o BI é possível, entre outros, analisar tendências e descobrir padrões, eliminando-se a duplicação de tarefas e alcançando-se a redução de custos e a otimização do trabalho.

A aplicação do BI permite às empresas uma abordagem proativa e não reativa, agindo-se com menos incerteza face ao futuro, já que se consegue compreender com mais precisão o que está a acontecer e porquê.

O projeto Business Intelligence Platform for Data Integration em que o CCG participou teve como objetivo desenvolver um sistema integrado de dados que permitiu através de um processo iterativo, o desenvolvimento do Data Warehouse Organizacional, contribuindo para o aumento da qualidade das operações da fábrica, em termos de eficiência no acesso e qualidade da informação crítica, necessária para a tomada de decisão e o envolvimento dos atores, a montante e a jusante da cadeia de valor.

Business Intelligence (BI) e Business Analytics (BA)

A área de Business Analytics (BA) aparece fortemente relacionada com a área de Business Intelligence, apresentando várias semelhanças e podendo ser vista como uma área mais abrangente ainda que englobe tecnologias de BI.

BA pode ser definido como uma área que se debruça acerca das operações executadas sobre dados cujo objetivo de suportar as atividades de negócio, como por exemplo o processo de tomada à decisão, daí a grande relação entre Business Analytics e os Decision Support Systems.

A área de BA contém três grandes orientações:

  • análise descritiva, que usa os dados para perceber o que acontecer no passado, destacando-se técnicas e tecnologias de BI (reports, dashboards, cubos OLAP);
  • análise preditiva, usa os dados e técnicas para descobrir padrões e visa responder questões relacionadas com possíveis ocorrências futuras, destacando-se técnicas de Data Mining, Web/Media Mining, Time Series Forecasting, entre outras;
  • análise prescritiva, engloba tipicamente os algoritmos de otimização, ferramentas de simulação e Group Support Systems, por exemplo.

Nos últimos tempos, o conceito de Business Analytics passou a ser usado para englobar vários conceitos emergentes, tais como:

  • Big Data Analytics;
  • (Cloud-Based) Predictive Analytics;
  • Text and Social Media Analytics;
  • Self-service Analytics;
  • Pervasive Analytics;
  • Data Stream Management e Real-time Analytics;
  • Mobile and Sensor-based Analytics;
  • Web-based Analytics.

Revalidação do BI: o que o futuro trará…

No futuro próximo poderemos vir a ter uma espécie de “análise aumentada”, onde o machine learning é incorporado no software e guiará os utilizadores nas suas pesquisas de dados. Será uma mistura de BI e de BA, e será certamente inteligente.

Deste modo será possível olhar para os números do ano passado (BI) e se obter ao mesmo tempo previsões sobre as vendas do ano seguinte (BA), com a capacidade de se avaliar como seria ao se atuar da forma A, B ou C.

Será um futuro claramente atrativo.