Big Data e Big Data Analytics: as vantagens para as empresas

Big Data. Big Data Analytics. Data Mining. Está ao corrente destes termos tecnológicos e das suas implicações no mundo empresarial?

Big Data Analytics é um tópico que abrange várias técnicas e tecnologias que trazem vantagens competitivas às empresas e ao mais diverso tipo de entidades.

Com a prática de Big Data Analytics é possível obter visões do comportamento do mercado, aperfeiçoar processos internos de trabalho e, ainda, tomar decisões mais rápidas e fundamentadas, entre outras vantagens.

Mas vamos por partes. Se ainda não está ao corrente da atividade de Big Data Analytics, primeiro começamos com o básico, pelo conceito de Big Data.

Definição de Big Data

Para explicar o que é Big Data, um termo que veio mudar a forma como fazemos negócios, podemos falar no ato de recolher, integrar, armazenar e processar quantidades massivas de dados para extrair informação útil através de mecanismos analíticos (e.g., dashboards).

Detalhando mais um pouco o seu significado, o conceito de Big Data baseia-se sobretudo no armazenamento de enormes volumes de dados em infraestruturas de computação distribuída, formando um cluster de computadores interligados entre si, em ambientes On-premises (dentro das instalações das empresas) ou na Cloud.

A recolha de dados: o que vem à rede é dados

E como se processa a recolha destes dados? Quais são as fontes de dados? E quais as suas características principais?

 

As organizações recolhem dados das mais variadas fontes, desde as redes sociais às compras, dos sensores às transmissões máquina a máquina, do preenchimento de formulários ao funcionamento de uma máquina específica.

 

Como exemplos de fontes de dados do quotidiano temos o e-mail, os documentos de texto, os vídeos, os ficheiros de áudio, as compras realizadas na internet, etc. Dependendo do contexto, estas fontes de dados possuirão diferentes características, podendo ser divididas em três grandes características:

  • Volume – os conjuntos de dados presentes em projetos de Big Data poderão ir desde os poucos gigabytes de dados até aos terabytes ou petabytes de dados;
  • Variedade – com as técnicas e tecnologias de Big Data, conseguimos integrar dados de diferentes tipos, incluindo estruturados (e.g., bases de dados relacionais, folhas de cálculo), semiestruturados (e.g., XML, JSON) ou não estruturados (e.g., texto, imagem, vídeo, áudio);
  • Velocidade – muitas das vezes, o Santo Graal de um projeto de Big Data é a recolha e integração de dados em tempo real, diminuindo o tempo de acesso aos dados, i.e., assim que um fenómeno acontece (e.g., é colocado um post numa rede social) esse fenómeno é usado para refrescar análises e indicadores existentes (e.g., quantos posts foram feitos sobre um determinado assunto num determinado dia).

 

big data e big data analytics

Big Data Analytics: dados para que vos quero?

Todo o trabalho de recolha de dados acaba por ter a sua finalidade. No contexto empresarial, realizar uma análise atenta de dados permitirá reduzir custos, aumentar a receita, otimizar processos de negócio, aumentar a produtividade e simplificar os processos de negócio.

As maiores empresas mundiais usam métodos de análise descritiva (e.g., dashboards, reports, Key Performance Indicators – KPIs) e de machine learning para avaliar e tomar a decisões mais fundamentadas e, portanto, mais assertivas, para conseguir melhorar os serviços que oferecem ou os produtos que vendem. Face ao constante aumento dos conjuntos de dados disponíveis para as várias organizações, estes métodos são atualmente possibilitados pelas técnicas, tecnologias e infraestruturas de Big Data, que garantem a recolha, armazenamento, processamento e análise destes novos tipos de dados.

 

Utilização da Big Data na Indústria

Na Indústria, as paragens na linha produtiva equivalem a quebras no negócio e nos lucros. A utilização das tendências tecnológicas da Indústria 4.0, como as técnicas e tecnologias de Big Data, ou a Internet of Things, permite reduzir os tempos de inatividade e de paragem por avaria dos equipamentos, medindo a eficácia geral destes e as suas necessidades de reparação.

 

A utilização de Big Data na Indústria permite também ter uma perspetiva muito mais detalhada da eficácia da organização e dos seus processos, que leva a processos de tomada de decisão mais informados, eficazes e eficientes (em tempo real).

 

Aqui podemos falar do projeto Business Intelligence Platform for Data Integration, desenvolvido numa parceria que inclui o EPMQ, a Bosch Car Multimedia Portugal e a Universidade do Minho.

Este projeto contempla um sistema integrado de dados que permite, através de um processo iterativo, o desenvolvimento do Big Data Warehouse Organizacional, aumentando a qualidade das operações da fábrica, em termos de eficiência no acesso e qualidade da informação crítica, necessária para a tomada de decisão e o envolvimento dos atores.

O big data é assim já uma expressão comum do vocabulário do CCG. Ele está a ser desenvolvido no domínio de investigação aplicada EPMQ, sob a coordenação científica de Maribel Santos.